O texto.

Lá pelas tantas da manhã, sem sono, sem coragem, sem imaginação ou criatividade. A tela branca que teima em aparecer na sua frente, começa a irritar. Ficando ali sentando, tentando encontrar uma maneira, uma forma de descobrir o que escrever, o que dizer. “Para quem? Por quê?”, a resposta seria fácil se a pergunta também fosse. Indagando a si mesmo sobre o real proposito de estar ali a horas tentando filtrar ideias e diluí-las no computador.

Tentou escrever sobre as notícias mais recentes, mas imaginou que outros o fariam, e que se não o fariam os jornalistas especializados nisso já estariam fazendo. Tentou escrever sobre o seu dia tedioso, mas resumiu que de tédio o mundo já está cheio. Mais uma história triste não iria comover ninguém. Tentou escrever sobre alguma história vivida que não havia contado a alguém para mostrar a veracidade dos fatos, mas como não havia contado a ninguém, dificilmente iriam acreditar em tal realidade.

Imagem

Enfim, cansado de tanto pensar e apagar textos incompletos, após a quinta xícara de café que a essas alturas já se encontrará morna e deixando o café comum gosto amargo e forte na boca. Nessas alturas o sono começou a vir, morfeu costuma fazer visitas inesperadas nos momentos em que menos se espera. Deixou o teclado de lado, e foi “percorrer” os canais da tv a cabo. Infinitos canais que fica quase impossível se decidir. O que assistir a essa hora? A não ser pelos desenhos animados sem pé nem cabeça e pelas séries de vida animal, nada de diferente, nada de “novo”.

Aquela sensação de incapacidade, de frustração começa a tomar conta, pela percepção de nada ter feito, de nada ter realizado em tanto tempo. Nessa altura a cama parece bem mais atrativa do que a cadeira dura e gélida que tenta voltar. Deve ser isso o que sentem escritores com “crises de criatividade”, realmente é algo angustiante. E nessa angustia, um momento de clareza e objetividade aparece. Como um clarão no céu sombrio e escuro de uma noite chuvosa. Sua mente se “ascende” se mostrando forte e límpida como esse clarão, suficientemente claro para fazer transcrever alguns parágrafos, e resumir um pouco dessa madrugada angustiante que foi redigir um pequeno texto, simples e singelo.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s