O meu mundo poderia ser o nosso.

Imagem

“E ela estava lá, sentada, admirando o dia que se iniciava, tocando as flores do jardim, sentindo os primeiros raios de sol que invadiam sem permissão todos os cantos do seu corpo. Ela sorria como se estivesse sendo abraçada por alguém que não via a anos e se sentia bem com isso.

Deleitava-se ao ver como a natureza era bela e sentia imenso prazer ao tocar e estar por entre toda aquela “vida”. Cantarolava uma canção qualquer e o dia parecia pausado naquele momento, sendo eterno, onde se repetia e repetia diversas vezes na minha mente. Ficava ali observando, imaginando, desejando, pensando o que faria ao lado dela, querendo estar lá com ela, sentindo seu perfume que provavelmente deveria ser de rosas, por tanto adorá-las, tocar sua pele que provavelmente deveria ser macia e delicada como uma rosa que é bem tratada e cuidada. Ouvir mais de perto aquela canção que ela tanto cantarolava e que soava como um hino que teimava em ficar gravado e registrado em minha mente.

Mas como fazer isso? Como sair da minha zona de conforto? Como sair do meu mundo fechado e mostrar aquela mulher o quanto eu a desejava? Será que um dia ela me notou? Será que já olhou pra mim com outros olhos, os olhos cujos quais eu a olhava? Acho que não, e acho que nunca fara isso. Acho que nunca vou tê-la como queria. O melhor é ficar no “meu mundo”.”

“E ele estava lá, parado próximo a cerca que separava nossos quintais, com aquela expressão séria e serena, mas que me trazia uma sensação de tranquilidade, como se ele estivesse ali apenas me admirando, ou as flores do meu jardim. Sempre com uma xícara de café na mão, deveria ser mais um daqueles que não consegue começar o dia com bastante cafeína.

Imagem

Me encantava e me deixava cada vez mais instigava a querer conhecer todo o charme que se escondia por debaixo daquele óculos de armação grossa e bem estilosos.

Ficava ali, regando e admirando toda aquela natureza, todas aquelas flores e imaginando como seria ele estando ali comigo, imaginando o tom da sua voz ao me chamar, suas mãos firmes e másculas me abraçando e me tocando, as conversas que teríamos e os assuntos dele que provavelmente seriam bem inteligentes e ele passaria horas tentando me explicar o que significavam.

Mas como fazer isso? Como sair da minha zona de conforto? Como sair do meu mundo fechado e mostrar aquele homem o quanto eu o desejava? Será que um dia ele me notou? Será que já olhou pra mim com outros olhos, os olhos cujos quais eu o olhava? Acho que não, e acho que nunca fara isso. Acho que nunca vou tê-lo como queria. O melhor é ficar no “meu mundo”.”

Imagem

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s