O Dono do Brasil.

Imagem

E se você não sabe ou esqueceu, hoje, 19 de abril é dia do índio. Algumas pequenas curiosidades antes do texto:

O Dia do índio,19 de Abril, foi criado pelo presidente Getúlio Vargas através do decreto-lei 5540 de 1943 e relembra o dia, em 1940, nos quais várias lideranças indígenas do continente resolveram participar do Primeiro Congresso Indigenista Interamericano, realizado no México. Eles haviam boicotado os dias iniciais do evento, temendo que suas reivindicações não fossem ouvidas pelos “homens brancos”. Durante este congresso foi criado o Instituto Indigenista Interamericano, também sediado no México, que tem como função zelar pelos direitos dos indígenas na América. O Brasil não aderiu imediatamente ao instituto, mas após a intervenção do Marechal Rondon apresentou sua adesão e instituiu o Dia do Índio no dia 19 de abril. O dia do Índio tem como função relatar os direitos indígenas e faz com que o povo brasileiro saiba da importância que eles tem na nossa história.

Considerados os primeiros habitantes dessas terras, os índios, como foram chamados pelos primeiros colonizadores que achavam que haviam chegado na Índia, existiam em mais de 1400 povos indígenas diferentes, em termos numéricos, essa variedade de povos abarcava uma população que oscilou entre três a cinco milhões de habitantes. Entre nômades, seminômades, outros que dominavam a agricultura e tinha uma rotina de trabalho intensa e regular. Não por acaso muitos foram feitos escravos nas propriedades criadas pelos colonizadores portugueses.

Depois da pequena aula de história que todos os brasileiros deveriam saber, podemos perceber o quão importante e significativa é a história do índio no nosso país e nos continentes das Américas. Apesar de toda a mobilização que foi feita para que os direitos dos índios se façam presentes e notados, vivenciamos momentos em que a nossa sociedade não vê com tanta importância os direitos indígenas e a história que possuem no nosso país. Com certeza você já ouviu e ou viu algum noticiário falando a respeito de vandalismo contra indígenas, desde ofensas verbais e discriminação, até espancamentos, mutilações e até casos onde os índios foram queimados vivos. E o motivo disso tudo? Discriminação, preconceito, racismo e simplesmente por não gostarem de índios.

Se analisarmos bem os motivos, não há nada nesse mundo que fará ser compreensível o motivo de tanta crueldade e violência. Violência essa que antecede nos colonizadores portugueses, que para tirar proveito de todo o conhecimento dos índios, os escravizaram por anos, assim como fizeram com os negros vindos da África. Sendo assim é difícil dizer, mas o preconceito, a discriminação e a violência contra os povos indígenas, podem ser algo cultural em nosso país. Mas como e porque ser assim? Povos que descendem de todos nós, sim, descendemos deles, (um estudo recente do geneticista brasileiro Sérgio Danilo Pena mostrou que 70% dos brasileiros que se dizem brancos têm índios ou negros entre seus antepassados. Ou seja, a maioria de nós tem sangue mestiço). Povos que criaram costumes e dizeres que usados e feitos até hoje. A pipoca, farinha de mandioca, a palavra bunda, vem do tupi-guarani, entre tantas outras. E porque, mesmo assim, mesmo sendo descendentes, muitos de nós “homens brancos” ainda temos esse julgamento preconceituoso e discriminatório para com os índios?

E porque, criamos esse dia para a sua comemoração quando não vemos tantas comemorações e homenagens prestadas, pois ao longo dos séculos o “homem branco” matou, mutilou, escravizou, excluiu e está extinguindo os índios do nosso país. Uma população que já chegou a ter mais de cinco milhões de habitantes, hoje não passa de 350 mil, e muitos dos povos já estão extintos e muitos outros em breve serão também. Estamos vivendo um momento na nossa sociedade em que cada vez mais as pessoas estão intolerantes e insensatas, onde os abusos sexuais, discriminação, preconceitos e qualquer tipo de violência acaba sendo algo normal. Algo do nosso dia a dia. E que infelizmente a mais motivos para se entristecer com o dia do índio do que para comemorar.

Fontes: http://www.escolakids.com/indios-os-primeiros-habitantes-do-brasil.htm
                http://pt.wikipedia.org/wiki/Dia_do_%C3%8Dndio

E Ela chegou…

Imagem

Enfim ela chegou. Tão sorrateira e marota que quando menos se espera, lá está, te dando um bom dia que de bom não tem quase nada. Cansado dos dois únicos, queridos e tão desejados dias para descanso você se levanta da cama praticamente arrastado e minutos depois se pergunta “como eu fiz pra levantar da cama?”. Pois é, ela tem esse dom. O rosto maltrapilho que vê no espelho reflete bem o que ela faz, sono excessivo, cansaço mais que evidente, mesmo assim você vai, na velocidade de uma internet discada escovar os dentes, mantendo o mesmo ritmo de escovação por mais tempo que o necessário.

O banho te desperta um pouco, depois de ficar alguns minutos a mais recapitulando o final de semana e pensando no que a semana te reserva. O café parece mais amargo do que o de costume, talvez seja por causa de um “resto” da ressaca. Após demorar um pouco mais do que o normal para se arrumar, você finalmente sai de casa depois de perceber que já está ficando atrasado para o trabalho. Chega até o ponto de ônibus e ele acaba de passar pela sua frente como uma miragem que de tão surreal era bem real. Após pegar o próximo ônibus o caminho que geralmente já é engarrafado está mais ainda, é incrível como ela faz isso. A angustia vai subindo e a hora vai passando diante dos seus olhos caprichosamente. Depois de descer do ônibus e finalmente chegar ao trabalho você se depara com colegas de trabalho na mesma situação, se não piores que você.

Alguns resmungando, outros bocejando, outros tentando mostrar que ela é como outra coisa qualquer. O dia vai passando, ou melhor se arrastando, até que a hora do almoço chega, é incrível como sono vem após a refeição com mais força ainda. Você não entende como ela é capaz disso. Depois de voltar do almoço você só consegue pensar no momento em que o relógio marcará o horário de ir embora. Depois de passar o dia se arrastando pelo escritório, e de escutar e falar reclamações para todos, tomar inúmeras xícaras de café para “tentar” espantar o sono, finalmente você vai embora e pensa somente no sofá que esta a sua espera e de um bom banho e roupa limpa.

Imagem

Eis que a batalha para voltar pra casa começa. O elevador não funciona, o que te faz descer lances e mais lances de escada, se deparar com um trânsito ainda pior do que quando saiu pela manhã. Ficar estressado no trânsito, de tanto ouvir buzinas de carros, motos, ônibus. Finalmente em casa, e depois de tomar um bom banho e comer, você enfim agradece por ela sair de cena.

A segunda-feira tem esse poder e essa “cisma’’ de levar a culpa de tudo no início da semana. Ela é vilã do domingo e inimiga mortal da sexta-feira. A menos que seja um feriado, ai ela se torna amiga inseparável e desejável. Apesar disso a segunda-feira é mais um dia, você faz o que tem que fazer, vai aonde tem que ir, faz suas obrigações e responsabilidades, reclama por não ter dormindo mais no final de semana, não ter comido mais, não ter aproveitado mais, não ter feito mais. Apesar de reclamar mais e mais a segunda-feira te dá a chance de fazer esse “a mais” que nunca faz. Ela inicia mais uma semana que te dará possibilidades infinitas. Apenas saiba aproveitar essas oportunidades e não culpar um dia por algo que você foi incapaz de fazer.